Projeto de curso

PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO
LATO SENSU
ENGENHARIA DE ESTRUTURAS EM CONCRETO

Ensino a Distância – EAD
(Resolução CES/CNE/MEC nº 01/2018)
CURSO CADASTRADO NO MEC EM 30/01/2020
Os cursos de pós graduação à distância são disciplinados pelo Decreto nº 9057/17

OBJETIVOS GERAIS

O aluno deverá ser capaz de entender o comportamento estrutural do concreto armado, e realizar a verificação de resistência e o dimensionamento de peças desse material sujeitas a flexão simples e ao cisalhamento.

O aluno deverá compreender o concreto armado considerando a aderência, a flexão normal composta, a torção e a flexão de lajes planas.

ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

O Curso está estruturado com 15 (quatorze) módulos, 49 (quarenta e nove) disciplinas totalizando 490 horas/aula.

PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ESTRUTURAS EM CONCRETO EAD
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
METODOLOGIA CIENTIFICA 30h
INTRODUÇÃO AO MÉTODO DE PESQUISA - Reconhecer a importância da escolha de um método científico para a realização de uma pesquisa.
- Diferenciar as abordagens dos métodos clássicos de pesquisa.
- Reconhecer os demais métodos de pesquisa.

10

MÉTODOS CIENTÍFICOS - Identificar as fases do Método Científico.
- Reconhecer o Método Científico como construtor de conhecimento científico.
- Diferenciar o Método Científico dos demais métodos existentes.

10

APRESENTAÇÃO DE PESQUISA - Identificar tipos de textos científicos.
- Descrever a estrutura de cada tipo de texto científico.
- Apresentar um trabalho de pesquisa científica.

10

SISTEMAS ESTRUTURAIS I 30h
TIPOS DE APOIO - Definir apoio e sua relação com a classificação estrutural.
- Caracterizar os apoios: tipo, esboço, símbolo, movimentos permitidos ou impedidos, forças de reação, incógnitas criadas.
- Calcular as incógnitas geradas em diferentes tipos de apoio.

10

FORÇAS APLICADAS EM UMA BARRA - Identificar as operações para as forças aplicadas em corpos rígidos e as cargas concentrada, distribuída uniforme e distribuída variável.
- Calcular as forças resultantes de uma carga distribuída linearmente.
- Calcular as forças resultantes de uma carga distribuída com variação parabólica.

10

ESFORÇOS NORMAIS E CORTANTES - Conceituar esforços normais e cortantes.
- Calcular os esforços normais em pontos da estrutura, nas aplicações de vigas e pórticos.
- Calcular os esforços cortantes em pontos da estrutura, nas aplicações de vigas e pórticos.

10

SISTEMAS ESTRUTURAIS II 30h
DIAGRAMAS DE ESFORÇOS CORTANTES E DE MOMENTO FLETOR - Construir um diagrama de esforços cortantes e de momento fletor em viga biapoiada.
- Relacionar diagramas de esforços cortantes e de momento fletor.
- Realizar os traçados dos diagramas de esforços cortantes e de momento fletor em pórtico biapoiado.

10

DIAGRAMA TENSÃO-DEFORMAÇÃO - Analisar o gráfico tensão deformação.
- Definir tensão limite de escoamento e tensão limite de resistência.
- Aplicar o gráfico tensão deformação para concreto armado, ligas metálicas e madeiras.

10

VIGAS ISOSTÁTICAS - Caracterizar viga isostática.
- Analisar as reações externas de apoios em vigas isostáticas e o surgimento dos esforços solicitantes internos derivados das cargas estruturais.

10

SISTEMAS ESTRUTURAIS III 30h
ESTRUTURAS DE CONCRETO E SUAS APLICAÇÕES - Identificar as estruturas de concreto e suas características construtivas básicas.
- Determinar as principais vantagens e desvantagens do uso das estruturas de concreto.
- Reconhecer as aplicações das estruturas de concreto.

10

SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS - Diferenciar elementos estruturais
- Propor sistemas estruturais básicos e específicos para atender às peculiaridades de cada projeto
- Descrever diferentes ligações e cargas

10

ESFORÇOS DE TRAÇÃO E COMPRESSÃO - Explicar a atuação das cargas de um edifício
- Indicar a tração de um elemento construtivo
- Identificar a compressão de um elemento construtivo

10

CONCRETO ARMADO 30h
VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONCRETO ARMADO - Reconhecer os aspectos gerais e o histórico do concreto armado
- Determinar as principais vantagens da utilização do concreto armado e suas aplicações
- Avaliar as desvantagens do concreto armado

10

CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO ARMADO - Definir os materiais constituintes do concreto armado
- Determinar as características gerais de resistência e deformabilidade do concreto e aço
- Avaliar a utilização do concreto e do aço, de maneira a otimizar o dimensionamento dos elementos em concreto armado

10

PRINCIPAIS NORMAS BRASILEIRAS PARA CONCRETO ARMADO - Reconhecer as principais normas brasileiras para o dimensionamento de elementos estruturais em concreto armado
- Avaliar ações e carregamentos sobre estruturas de concreto armado conforme as normas brasileiras
- Identificar os requisitos necessários para a execução de estruturas de concreto armado

10

ESTRUTURAS DE CONCRETO PROTENDIDO 40h
PROTENSÃO: DIMENSIONAMENTO I - Identificar quais são as premissas para o dimensionamento de cálculo
- Relacionar os domínios existentes
- Desenvolver o imensionamento de estruturas submetidas à flexão

10

PROTENSÃO: DIMENSIONAMENTO II - Identificar o efeito da força cortante na protensão
- Expressar o efeito da força de protensão
- Resolver o estado limite último ao corte

10

PROTENSÃO: MATERIAIS E DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS - Expressar o funcionamento dos sistemas de protensão
- Identificar os materiais utilizados em estruturas protendidas
- Construir a disposição (o traçado geométrico) da estrutura em protensão

10

PROTENSÃO: CRITÉRIOS DE PROJETO - Estimar a força de protensão
- Determinar a força Pi
- Identificar como funciona o processo gráfico para protensão dos tipos curva limite e fuso limite

10

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES I 30h
SISTEMAS ESTRUTURAIS - DEFINIÇÕES DE ESTRUTURA - Definir sistemas estruturais e seus elementos estruturais principais.
- Caracterizar as estruturas lineares e elementos estruturais de superfície.
- Reconhecer os elementos estruturais de fundações.

10

CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DO TIPO DE FUNDAÇÃO - Reconhecer o que é sondagem
- Diferenciar os tipos de solos e os tipos de fundações
- Identificar o tipo de estrutura mais adequada a ser utilizada em função do solo

10

CAIXÕES - Definir o que são fundações do tipo caixões
- Reconhecer como são executadas as fundações tipo caixões
- Identificar os locais de aplicação e as estruturas utilizadas na execução das fundações tipo caixões

10

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES II 30h
FUNDAÇÕES DIRETAS: TIPOS, CARACTERÍSTICAS, MÉTODOS CONSTRUTIVOS E CÁLCULO DAS TENSÕES NO SOLO - Relacionar os diferentes tipos e as características das fundações diretas
- Identificar os métodos construtivos das fundações diretas
Calcular as tensões no solo

10

FUNDAÇÕES PROFUNDAS: TIPOS, CARACTERÍSTICAS E MÉTODOS CONSTRUTIVOS - Identificar os tipos de fundações profundas
- Definir as características principais das fundações profundas
- Reconhecer os principais métodos construtivos destas fundações

10

DISTRIBUIÇÃO DE CARGAS EM ESTACAS E TUBULÕES
TRAÇÃO E ESTACAS INCLINADAS
- Reconhecer o mecanismo de distribuição de cargas em estacas e tubulões
- Identificar a capacidade de cargas por meio do método de DécourtQuaresma
- Definir a capacidade de carga em estacas ou tubulões submetidos a esforços de

10

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES III 30h
ESTACAS INCLINADAS - Identificar as condições que favorecem o emprego das estacas inclinadas
- Calcular a distribuição de cargas nas estacas em um bloco de estacas
- Estimar a capacidade de carga de estacas inclinadas submetidas a esforços de tração

10

ANÁLISE DOS ESFORÇOS E CÁLCULO ESTRUTURAL DE ESTRUTURAS DE CONTENÇÃO - Conceituar empuxo
- Analisar as instabilidades nos muros de gravidade: deslizamento, tombamento, ruptura por tensão excessiva na fundação e ruptura global
- Dimensionar cortina de estaca prancha sem ancoragem

10

SOLUÇÕES ESPECIAIS PARA FUNDAÇÕES: SUBSTITUIÇÃO DO SOLO, JET-GROUTING, ESTACAS TRACIONADAS E REFORÇO DE FUNDAÇÕES - Identificar em que situações é necessário o uso de soluções especiais
- Diferenciar soluções do tipo substituição de solo, jet grouting e estacas tracionadas
- Reconhecer as principais soluções envolvendo reforço de fundações

10

ESTRUTURAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO 40h
CIMENTO - Listar as principais matérias-primas utilizadas na fabricação de cimento
- Elencar as etapas de fabricação de Cimento Portland
- Definir os principais tipos de cimento

10

SISTEMAS DE PRÉ-FABRICAÇÃO - Identificar os sistemas da construção civil préfabricada
- Listar os condicionantes de projeto para o aproveitamento máximo da préfabricação
- Diferenciar os tipos de ligações entre elementos préfabricados

10

PRÉ-FABRICADOS (CONCRETO, AÇO, MADEIRA), PAINÉIS SANDUÍCHE - Identificar os principais sistemas préfabricados em concreto: tiltup, estruturas prémoldadas e painéis com concreto pré-moldado.
- Caracterizar as estruturas metálicas e de madeiras e sua compatibilidade com sistemas convencionais: alvenaria de tijolos e lajes de concreto.
- Expressar as características, aplicabilidade e vantagens dos painéis sanduíche.

10

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DOS MATERIAIS PRÉ MOLDADOS - Definir o conceito de materiais prémoldados e materiais pré-fabricados
- Listar aplicações dos materiais prémoldados
- Identificar vantagens para utilização do conceito de materiais prémoldados na Engenharia Civil

10

INTRODUÇÃO A PATOLOGIA 40h
CONCRETO ARMADO NA CONSTRUÇÃO CIVIL: PROPRIEDADES, EXECUÇÃO, ENSAIOS - Definir os materiais constituintes do concreto armado.
- Relacionar as etapas de execução e os cuidados necessários na concretagem.
- Identificar as normas técnicas, os ensaios e as patologias relacionadas ao concreto armado.

10

PATOLOGIAS DAS ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO - Identificar as causas de fissuração das estruturas (falhas de projeto e/ou execução).
- Relacionar a fissuração à corrosão das armaduras.
- Expressar os fatores geradores de lixiviação, desplacamento e carbonatação.

10

ASPECTOS DO CONCEITO DE INSPEÇÃO PERIÓDICA E MANUTENÇÃO - Descrever a importância dos Laudos de Inspeção Predial (LTIP).
- Relacionar os itens e as características essenciais de manutenção periódica (preventiva).
- Identificar a necessidade e os prazos de execução para a manutenção corretiva.

10

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO QUADRO PATOLÓGICO: ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO - Identificar os tipos de inspeção para coleta de dados e diagnóstico (interpretação dos dados).
- Expressar a importância de um prognóstico (consequências que surgirão caso não sejam efetuadas as medidas corretivas para a eliminação do problema).
- Diferenciar os principais ensaios para diagnóstico das patologias das construções.

10

PONTES DE CONCRETO I 30h
PROJETO DE UMA PONTE. - Identificar os aparelhos de apoio: concreto, metálico e elastomérico.
- Relacionar as principais normas do projeto de pontes.
- Expressar graficamente um projeto de ponte.

10

DIMENSIONAMENTO DA INFRAESTRUTURA - Definir filosofia de cálculo para consideração das ações nas fundações.
- Relacionar métodos de projeto e considerações específicas para fundações de pontes.
- Calcular esforços resistentes para fundações rasas e profundas.

10

SUPERESTRUTURA: DISTRIBUIÇÃO DOS ESFORÇOS NO TABULEIRO E VIGAMENTO PRINCIPAL - Diferenciar as pontes em arco das pontes em vigas e lajes.
- Expressar as solicitações do vigamento principal.
- Identificar as linhas de influência de vigas e pórticos

10

PONTES DE CONCRETO II 30h
SOLICITAÇÕES NAS PONTES - Relacionar a proteção de pilares e paredes, guardarodas e guarda-corpos.
- Identificar os tipos de solicitações, provocadas por cargas, impactos, pressões, atritos, deslocamentos e deformações.
- Escrever sobre os estados limites para o dimensionamento das seções.

10

ENVOLTÓRIA DAS SOLICITAÇÕES EM PONTES RODOVIÁRIAS E FERROVIÁRIAS - Construir as envoltórias de solicitações das vigas simplesmente apoiadas.
- Determinar as envoltórias de solicitação em vigas contínuas.
- Calcular as solicitações do vigamento principal.

10

MESOESTRUTURA: ESFORÇOS NOS PILARES - Identificar o tipo e os processos construtivos de pilares de pontes.
- Expressar os esforços e solicitações atuantes nos pilares de pontes com estrado contínuo e juntas deslocáveis.
- Calcular os esforços horizontais e dimensionar os pilares de pontes, incluindo pilares sujeitos a impactos de veículos (viadutos).

10

PROJETO, CÁLCULO E VERIFICAÇÃO DE ESTRUTURA DE EDIFICAÇÃO EM CONCRETO ARMADO 40h
ANTEPROJETO DE ESTRUTURA E PRÉ-DIMENSIONAMENTO - Analisar o projeto de arquitetura e a concepção estrutural.
- Determinar o prédimensionamento das lajes.
- Calcular o prédimensionamento de vigas, pilares e pilares-parede.

10

ESTRUTURAS PRÉ-DIMENSIONADAS - Listar as vantagens da utilização de elementos estruturais de concreto prémoldado em comparação a um sistema moldado no local
- Compreender o processo de produção de elementos estruturais em concreto prémoldado
- Identificar os diversos tipos de elementos que podem ser produzidos nas fábricas de prémoldados

10

ESTRUTURAS DE EDIFÍCIOS - Reconhecer os tipos de edifícios, destacando os edifícios altos com estrutura externa e interna.
- Identificar os principais tipos de estruturas utilizadas em edifícios.
- Descrever os mecanismos atenuadores de oscilações.

10

ANÁLISES DE VIABILIDADE PARA OS TIPOS DE ESTRUTURA - Comparar a viabilidade entre estruturas de concreto e metálicas.
- Analisar estruturas convencionais com lajes maciças e lajes nervuradas.
- Definir os tipos de estrutura em comparação com as novas tecnologias.

10

MARQUISES E TORÇÃO, REFORÇO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO 30h
PERFIL EM AÇO - Identificar os tipos de elementos estruturais em aço utilizados para vencer pequenos, médios e grandes vãos
- Determinar as características estruturais desses elementos
- Compreender os processos de fabricação e montagem desses elementos estruturais

10

APRESENTAÇÃO DOS MATERIAIS E TÉCNICAS DESTINADAS À RECUPERAÇÃO E REFORÇO - Identificar materiais e métodos para recuperação e reforço de fundações.
- Relacionar os materiais e métodos para recuperação e reforço de estruturas em concreto armado.
- Construir soluções para revestimentos e fachadas.

10

RESERVATÓRIOS E ESCADAS: DIMENSIONAMENTO E DETALHES CONSTRUTIVOS - Estimar os tipos e valores das cargas aplicadas em reservatórios e escadas
- Aprender a dimensionar escadas
- Avaliar os modelos usuais de reservatórios e escadas

10

TOTAL DE HORAS AULA 490

MÓDULO OPCIONAL
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
DIDÁTICA E METODOS CIENTIFICOS
DIDÁTICA: UMA PRÁTICA ORGANIZADA - Conceituar a didática
- Relacionar a didática com as estratégias de ensino
- Estabelecer relação entre a didática e o processo de socialização
10
METODOLOGIA: DIFERENTES OPÇÕES DIDÁTICAS Definir o que é a metodologia no trabalho docente.
Apontar diferentes opções metodológicas que podem ser adotadas no processo de ensino-aprendizagem.
Relacionar a metodologia com o uso de diferentes recursos materiais.

10

PROCESSOS DE APRENDIZAGEM - Descrever como os alunos processam o aprendizado
- Discutir as etapas dos processos de aprendizagem
- Explicar o ciclo dinâmico da aprendizagem

10

SELEÇÃO E DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MATRÍCULA

01 fotos 3x4; Cópia do Diploma de Curso Superior, Cópia do CPF, Cópia do RG e Cópia do Comprovante de Residência. (Todos as Copias desses documentos deverão obrigatoriamente serem digitalizadas, assinadas pelo candidatos conforme assinatura do RG e enviadas para a FIC pelo correio eletrônico fic@unifal.edu.br .

DADOS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO

MANTENEDORA:
Nome: União de Faculdades de Alagoas Ltda. - UNIFAL
Dirigentes: Sergio TR Costa e Rosário F. Costa.
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326 8069 - E-mail: unifal@ficunifal.edu.br

MANTIDA:
Nome: Faculdade Figueiredo Costa - FIC
Dirigentes: Sergio TR. Costa e Rosário F. Costa
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326-8069 - E-mail: fic@ficunifal.edu.br

EXPEDIÇÃO DO CERTIFICADO

O curso de pós-graduação lato sensu em Engenharia De Estruturas Em Concreto é certificado pela FACULDADE FIGUEIREDO COSTA – FIC, mantida pela UNIFAL.

A FIC é CREDENCIADA PARA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS PELA PORTARIA MEC 289/16 (RECREDENCIADA) e CREDENCIADA PARA CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA PELA PORTARIA MEC 90/18 (CREDENCIADA EAD). Os certificados expedidos pela FIC tem garantia de validade em todo território brasileiro.

INVESTIMENTO

PLANO TEMPO DE CONCLUSÃO EM MESES TOTAL DO INVESTIMENTO EM R$ PARCELAMENTO
PLANO ÚNICO 6 a 12 2.648,00 de 2x até 12x
Até 10x é sem juros

PRAZO DE CONCLUSÃO DO CURSO
Mínimo de 6 (seis) meses e máximo de 12 (doze) meses.

DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS

Educação a distância – EAD

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E TUTORES

E-mail: fic@unifal.edu.br
A Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC é a responsável pela Elaboração do Projeto Pedagógico do Curso e sua permanente atualização, devendo promover as reuniões periódicas do colegiado objetivando desenvolver e implantar o presente projeto e as atividades do mesmo. É também responsável pelo gerenciamento do curso e da integração docente e discente, com objetivo de garantir o pleno sucesso na execução deste projeto pedagógico.

OBS: “Os professores são de exclusiva responsabilidade da Coordenação Acadêmica e poderão, a qualquer tempo, serem substituídos, a critério exclusivo da mesma, por razões administrativo-pedagógicas, por outros de equivalente titulação e/ou capacidade profissional”

METODOLOGIA

A concepção metodológica do Curso baseia-se nos ideais de autonomia e protagonismo no Ensino a Distância. O curso prevê a realização de 15 módulos disciplinares curricular, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC. São 11 (onze) módulos disciplinares curricular, com 3 (três) UAs, cada e 4 (quatro) módulos disciplinares curricular, com 4 (quatro) UAs, cada.

AVALIAÇÃO

Farão jus aos certificados apenas os alunos que concluírem com sucesso todas as disciplinas modulares e obtiverem nota igual ou superior a 7,0 pontos numa escala de 0 (zero) a 10 (dez).

TECNOLOGIA

A ferramenta fundamental, embora não a única, para o desenvolvimento dos processos educativos será o Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA da FIC, onde serão realizadas as aulas com veiculação pela internet; ambientes virtuais de discussão; biblioteca virtual e informações sobre as disciplinas e avaliação.
A organização deste espaço virtual será uma parceria do Curso com a Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC e com empresas especialista terceirizadas, para elaboração e distribuição dos materiais audiovisuais.

Outra importante ferramenta indispensável que é amplamente utilizada é o portal da FIC, na bibliotecas virtuais, onde são publicados os textos no formato eletrônico de livros, que poderão ser acessados e impressos, nas bibliotecas virtuais, fazendo com que os alunos do Curso tenham a oportunidade de acessar revistas e os textos de autores nacionais e estrangeiros.

INFRAESTRUTURA FÍSICA

O curso é uma iniciativa da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, que já consta com estrutura física no polo do campus sede, onde funcionam a secretaria, a coordenação do curso, coordenação de tutoria e o colegiado do curso.

Estes espaços possuem os laboratórios de informática, sala de para web conferências, secretaria onde atuarão os professores do curso e demais colaboradores.

INFORMAÇÕES GERAIS

Conforme a nova resolução do MEC, que rege sobre cursos de pós-graduação lato sensu, o TCC não é mais obrigatório, e sim opcional. Sendo assim nossos cursos não contemplam mais o TCC. Caso opte, é só nos enviar seu TCC já orientado e corrigido que após análise de nossa equipe pedagógica ele será inserido no seu certificado.

Vale salientar que como o TCC é um trabalho cientifico, é importante ter o seu título no histórico escolar, que acompanha o Certificado de conclusão de curso.

Os alunos que concluírem todos os requisitos do curso receberão o certificado de conclusão, conforme a Resolução CNE/CES n. 1, de 6 de abril de 2018. Todos os documentos apresentados e aprovação em todas as disciplinas, o aluno será certificado como especialista. Emitiremos uma declaração de conclusão dentro de 10 dias e o certificado em até 30 dias.
O concluinte poderá optar por retirar o certificado em um dos endereços disponibilizados pela instituição ou recebê-lo pelo correio. Não há custo para a retirada do certificado no endereço indicado pela instituição. Para recebê-lo pelo correio, por Sedex será cobrado a taxa referente ao custo de envio.
De acordo com o MEC, os egressos dos cursos oferecidos a distância receberão o mesmo certificado de ensino superior dos cursos presenciais. A modalidade a distância não é citada no certificado.

Os cursos são realizados com base no material didático (livros e videoaulas) e com o suporte por meio do Portal AVA e o portal FicUnifal para acesso as bibliotecas virtuais e-BookFIC e Pearson. O PDF do livro estará disponível para download e as videoaulas serão assistidas no próprio AVA do aluno. Material Online - Videoaulas no AVA e livros em PDF que poderão ser baixados nos seu computador para consultas futuras.

CONTROLE DE FREQUÊNCIA

Todas as ações que o aluno faz no AVA do curso é monitorada, servindo de base para avaliação da assiduidade do aluno no curso.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA PARA O CURSO
ARAUJO, J. M. Projeto estrutural de edifícios de concreto armado. Rio Grande: Dunas, 2009.
ARAÚJO, J.M. – Curso de Concreto Armado. Vol.1-4. Editora Dunas, Rio Grande, 2003.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 6118; NBR 6120; NBR 6122; NBR 6123; NBR 7191; NBR 8681.
BOTELHO, M. H. C.; MARCHETTI, O. Concreto armado eu te amo: volume 1. 8. ed. São Paulo: Blucher, 2015. v. 1.
CARVALHO, R. C., & FIGUEIREDO Fo, J.R – Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto Armado; Editora EdUFScar, 2007, São Carlos.
CLÍMACO, J. C. T. S. – Estruturas de Concreto Armado – Fundamentos de Projeto Dimensionamento e Verificação; Editora UnB; 2005, Brasília.
FUSCO, P.B. Estruturas de concreto: fundamentos do projeto estrutural. v.1. São Paulo: Ed. McGraw-Hill do Brasil, 1976.
FUSCO, P.B. Técnicas de armar as estruturas de concreto. São Paulo: Pini, 1995.
FUSCO, Péricles Brasiliense. Estruturas de concreto - solicitações tangenciais. Ed. PINI.
GRAZIANO, F. P. . Projeto e Execução de Estruturas de Concreto Armado. 01. ed. São Paulo: Editora O Nome da Rosa, 2005. v. 3190. 160 p.
LEONHARDT, F. & MÖNNIG, E. Construções de concreto, vol. 2 e 3. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda, 1981.
LEONHARDT, F. Construções de concreto: casos especiais de dimensionamento de estruturas de concreto armado. Rio de Janeiro: Interciência: 1978. v.2
LEONHARDT, F. Construções de concreto: princípios básicos sobre a armação de estruturas de concreto armado. Rio de Janeiro: Interciência: 1978. v.3
LEONHARDT, F; MÖNNING, E. – Construções de Concreto – Princípios Básicos do Dimensionamento de Estruturas de Concreto Armado. V. 1. Rio de Janeiro, Ed. Interciência, 1982.
MARINO, Marcos A. – Concreto Armado da UFPR; Apostila; UFPR, 2016. (Texto Base em  www.estruturas.ufpr.br/concreto).
MEHTA, P.K.; MONTEIRO, P.J.M. – Concreto – Estrutura, propriedades e materiais. São Paulo. Ed. Pini, 1994
PFEIL, Walter. Concreto armado. 5ª ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1988.
POLILLO, Adolpho. Dimensionamento de concreto armado, vol. 1. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 7ª edição, 1990.
ROCHA, A.M. Novo curso prático de concreto armado. Rio de Janeiro: Científica, 1979. 4 v.
SANTOS, L.M. Cálculo de concreto armado. v. 1. São Paulo: LMS, 1983.
SÜSSEKIND, José Carlos. Curso de concreto, vol. I e II. Ed. Globo
Biblioteca digital da FIC: E-BookFIC, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca digital, terceirizada: PEARSON BIBLIOTECA VIRTUAL, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca pública MEC: www.periodicos.capes.gov.br